Métodos tradicionais de moldagem de cerâmica técnica

Muitos dos mesmos processos de moldagem usados ​​para a cerâmica tradicional - por exemplo, prensagem, extrusão, fundição por deslizamento - também são empregados para a cerâmica avançada.

Um alto grau de sofisticação foi obtido nesses processos. Um exemplo notável é a estrutura em forma de favo de mel extrusado, usado como suporte de catalisador em conversores catalíticos automotivos. Essas pequenas estruturas têm centenas de células abertas por centímetro quadrado, com espessuras de parede inferiores a 0,1 milímetro. A extrusão de tais formas finas é possibilitada pela adição de uma resina de polímero hidráulica (deposição de água) à mistura. A resina cura rapidamente após a extrusão da mistura em água quente e confere força "verde" (pré-instalada) à estrutura. 

Fundição de fita

A fundição de fita é outro processo que foi originalmente usado com cerâmica tradicional, mas alcançou um alto nível de sofisticação em cerâmica avançada. Em particular, os métodos de fundição em fita são usados ​​para fabricar substratos para circuitos integrados e as estruturas multicamadas usadas em pacotes de circuitos integrados e capacitores multicamadas. Um método comum de moldagem de fita se baseia em uma pasta de pó de cerâmica, contendo um solvente orgânico, como etanol e vários outros aditivos (por exemplo, aglutinante de polímero), é continuamente lançada sobre uma superfície móvel transportadora feita de um material liso e antiaderente, como o Teflon. Uma borda lisa da faca espalha a pasta para uma espessura especificada, o solvente é evaporado e a fita é enrolada em um rolo de recolhimento para processamento adicional.

Atualmente a Macéa possui uma linha com mais de 20.000 itens de cerâmica industrial produzidos com os mais avançados processos de fabricação e com materiais de ultima geração.

voltar

Compartilhe esse conteúdo