A importância do processo de queima da cerâmica avançada

As condições ideais de queima ou cozimento das cerâmicas avançadas são bem diversas, tanto na faixa de temperatura quanto no equipamento a ser utilizado. Trata-se de um assunto muito extenso, mas que tentaremos descrever de forma breve algumas técnicas e condições da tecnologia básica de queima de cerâmica avançada.

Em geral, esses materiais são queimados a temperaturas bem acima dos metais, tipicamente na faixa de 1500 ° C a 2400 ° C ou ainda mais altas, demandando fornos e revestimentos extremamente específicos. Alguns materiais requerem ambientes especiais de gás, como nitrogênio ou condições controladas do forno, como vácuo. Em outras situações existe a necessidade de pressões extremamente altas para atingir a densificação desejada.

Dessa forma, os fornos utilizados para a queima desses materiais são bastante diversos, tanto em design como em tecnologia. Os métodos típicos de aquecimento nestes fornos são gases (gás e oxigênio, gás e ar aquecido), aquecimento por resistência (aquecedores metálicos, de carbono e cerâmicos) ou aquecimento por indutância (R.F., microondas).

O aquecimento a gás é geralmente realizado em pressões normais a baixas. O aquecimento por resistência é realizado em pressões que variam de vácuo a 200 MPa. O aquecimento por indutância também pode ser feito na mesma faixa da resistência. Tanto no aquecimento por resistência quanto por indutância, os sistemas não precisam lidar com altos volumes de produtos de ignição, portanto, podem ser contidos. Os tipos típicos de forno utilizados são: caixa, túnel, sino, HIP (gás e resistência aquecida), vedação (tipo autoclave vedado para elemento de carbono aquecido), design especial vedado (tipo arrefecido a água para aquecimento RF) ou microondas de design aberto aquecida, (pequenos itens).

A Macea é especialista no desenvolvimento de materiais em cerâmica avançada para diversas aplicações. Entre em contato conosco e saiba mais.

voltar

Compartilhe esse conteúdo