A indústria automobilística e a cerâmica avançada

A indústria automobilística tem demonstrado bastante interesse no desenvolvimento de soluções em cerâmica avançada. Muito investimento tem sido feito no desenvolvimento de componentes de motores feitos de materiais cerâmicos.

Esses desenvolvimentos têm como foco todas as vantagens existentes na aplicação de cerâmica, como a redução de volume e peso, a dispensa na refrigeração, tendo em vista que a cerâmica pode trabalhar em temperaturas de até 800°C, além de um melhor aproveitamento do combustível e maior eficiência do motor em termos de potência.

Essas características da mecânica abrem um grande espaço de aplicações para a fabricação de blocos de motores, virabrequins, válvulas, pistões, cilindros, cabeçotes, sistemas de exaustão, câmaras de combustão, mancais, cabeças de pistões. No entanto um dos grandes problemas a serem resolvidos para a utilização dessa tecnologia é o controle da tolerância.

A tolerância permitida no desenvolvimento de componentes de motores varia entre 10 e 300 mícrons. Já as peças de cerâmica apresentam alta dureza, o que dificulta muito sua usinagem. Para viabilizar esse processo em larga escala seria preciso produzir peças com medidas bem próximas às medidas finais desejadas, o que demanda um processo ainda mais controlado, já que existe uma retração natural da cerâmica durante seu processo de sinterização.

Apesar disso a indústria tem investido de forma intensa no desenvolvimento de soluções em cerâmica avançada, na busca pela substituição de alguns componentes, se utilizando de todas as vantagens oferecidas pela utilização da cerâmica avançada.

voltar

Compartilhe esse conteúdo

Notícias relacionadas